Pular para o conteúdo principal

#XícaraVIP- 01 - Chega mais, Millôr!

Millôr Viola Fernandes (16 de agosto de 1923 - 27 de março de 2012) foi um cartunista, jornalista, cronista, dramaturgo, roteirista, tradutor e poeta brasileiro. Nasce no Rio de Janeiro, em 1923, filho do engenheiro Francisco Fernandes e de Maria Viola Fernandes.
Leia mais na fonte: Pensador

Em suma, Millôr era o cara. E eu o admiro muito. Então acho que em poucas e humildes palavras: "Eu quero ser um tipo meio Millôr quando crescer!" 
Assim, como tantos outros tipos nos quais eu busco me espelhar!

O novo "quadro" digamos assim, do Xícaras é o "#XícaraVIP" onde tentarei falar dos grandes autores de que adoro. E nessa estreia destaca-se um livro do Millôr que ganhei (o primeiro, inclusive). 

APRESENTO-LHES: "Trinta anos de mim mesmo".

O livro, traz nostálgicas publicações de Millôr, nos jornais em que trabalhou e algumas das suas crônicas. E que tipo de blogueira seria eu, em omitir meus pensamentos e algumas dessas páginas? Lógico que eu não irei lhes oferecer o deguste inteiro do livro! Ah... Mas vamos nos divertir em conhecê-lo!

O livro é marcado por datas anuais e pelas referidas publicações de sucesso, inclusive ilustrações. Algumas das ilustrações não se remetem à obras do autor somente, mas à coisas que referenciam-se ao seu cotidiano. Aos seus "trinta anos" como pressupõe o título.

O sarcasmo  e a ironia são marcantes no estilo do autor, uma das primeiras páginas traz o título "Frases sem dor" publicação em 1943, elejo as preferidas:

"Um banqueiro pode escrever falsa literatura. Mas vá um escritor falsificar um cheque!".
"A justiça é cega, sua balança desregulada e sua espada sem fio".
"Chama-se herói um sujeito que não teve tempo de fugir ".

Folheando algumas outras páginas, encontramos o "Ministério das Perguntas Cretinas" onde eu, também separei algumas: 


 - O olho d'água tem pestana?
 - A boca da noite diz nome feio? 
 - Cabo de faca pode ser promovido a sargento?
 - Cabo de esquadra pode ser posto em vassoura?
 - Se o diabo se portar bem, vai pro céu?
 - Mudo, tem palavra?
 - A chapa de raio-x foi bem votada?
 - Marmelada falsificada é marmelada?
 - As maçãs do rosto tem vitaminas?
 - As vitaminas tem maçãs do rosto?
 - Gerente, o senhor vai aumentar meu ordenado?
 - O mata-borrão é assassino?
 - Em corte de ordenado se põe iodo?
 - A Serra da Mantiqueira corta lenha?
 - Por que que os garçons não trazem um pires pra gente botar os buracos do queijo?
 - E se todo queijo tem buraco, por que nem todo buraco tem queijo?
 - Miolo de pão raciocina?
 - A barriga da perna tem umbigo?
 - Na ilha de Pago-Pago, as contas são pagas duas vezes?
 - A bolsa de Nova York é de crocodilo?
 - Deve-se ter vergonha do que se vê a olho nu?
 - Se Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil, quem foi que o cobriu?
 - Um cego pode pagar contas à vista?
 - Pé de vento calça meia?
 - Banana d'água mata a sede?
 - É verdade que os esgrimistas só comem manga espada?
 - Os cachos de uva são feitos no cabeleireiro?
 - No momento em que você lê estas perguntas não se sente muito inteligente?
 - Um encarregado de cobrar impostos, é um impostor?
 - O calor de uma paixão dá para cozinhar o jantar?
 - Você já verificou se a Terra é mesmo redonda?
 - Quando o Disney faz um desenho ruim, é um desenho desanimado?
 - Um sujeito armado de boa vontade, deve ser preso?
 - Um sujeito muito cara de pau pode fazer barba com gilete?
 - Você é capaz de escrever uma composição sobre um crime indescritível?
 - Aceita uma cervejinha, seu guarda?
 - Por que tudo fica tão claro quando eu acendo a luz?
 - Você é capaz de dizer por que os precipícios são tão fundos?
 - Nosso país, vai pra frente?
 - A boia servida nos restaurantes serve como salva-vidas? 
 - Quando uma mulher tem pé de galinha, deve ser posta no galinheiro?
 - O verso do papel é feito por algum poeta?
 - Mamãe, por que agora que vamos com o papai, a senhora não cumprimenta o Dr. André? 
 - As estrelas cadentes caem onde e de onde?
 - A lua de mel pode servir como sobremesa?
 - Em Cabo Frio também faz calor?
 - Os suspiros das virgens são de clara de ovo?
 - Do parapeito das janelas pode-se tirar leite?
 - Um ato de loucura pode ser levado no teatro?
 - O critério político existe?
 - A estrada da vida é asfaltada?
 - A anestesia, dói muito?

Podem até ser tolices, e de fato são piadas cretinas, mas não deixam de ser também brincadeiras com as palavras e expressões inventadas por nós. E algumas chegam a ser até mesmo, sarcasmos. 

Por hoje, faço essa breve apresentação do Millôr, mas ainda temos muitas páginas de "Trinta Anos" a percorrer. 

Até a próxima!

Comentários