Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

Lirismo Dois.

Quando a lágrima surgiu e o leito da paz não estava presente, nada mais era real, nem a chuva, nem o sol. E a calma do dia não acalmava, em um momento apenas a imensidão dos céus da solidão. E as estrelas mentiam,  brilhavam convencidas de que me enganavam. A ilusão se foi na correnteza. Cheguei a tornar-me pó . Ser  nada. E só me restava escrever que eu não poderia chegar. Foi quando apareceu o que eu esperava pra preencher meu mundo que era seu. Eu não sabia chegar, foi quando apareceu, o que eu iria buscar, pra ser o anjo do meu, mundo particular mundo que era seu. Nesse mundo não há mais nada a se perder. E posso dizer, o amor existe para quem ama.

Lirismo Um.

Cantaremos ou choraremos a brisa renovada.  Perderemo-nos na menoria aveludada da pouca simplicidade e fragilidade que nos resta.  O mundo está ambíguo. E ainda mais incertos estão aqueles que a tudo observam calados. Litros de lágrimas derramadas por futilidades. Entonam-se risadas em momentos de dor.  O pessimismo move a derrota, a derrota move a maldade, e a maldade move a glória.  Desde então, caçaremos leões dia após dia. Nesta caçada, a defesa deficiente leva os leões a matarem nossos sonhos, esperanças, força de vontade e pudor.

Fim dos Tempos

Foi um triste e difícil Novembro, Esperamos o botão novo nascer. Quanto mais os segundos passavam parecia que o tempo havia congelado. As crianças corriam de medo. E o novembro passava inacabável.
Gritos de pânico. Sonhos em risco. E meu amor, longe de mim. Choros e soluços, o estrondo, o perigo. O meu amor estava longe de mim.
Pouca esperança, flores mortas. O dia era claro, mas os corações estavam fechados. As pessoas esperavam a chegada de Dezembro, relembravam os antigos novembros. As festanças a qualquer momento, e as portas caídas, o cheiro do vento.
Na colina, um botão germinou. Era o início do fim do começo. As crianças sorriam, espantaram o medo. Só ficou o receio do retorno das lutas.
Me amava e eu não pude saber, meu amor longe de mim. Me amava e eu pude entender. Meu amor, olhou para mim.

Hey minha pequena

Antes de iniciar o post, gostaria de dizer que essa é a letra de uma das músicas que componho. Enfim não sei se gostarão, mas mesmo eu sendo super auto-crítica aprovei minha criação. Eu fiquei receosa de postar esse texto aqui, porém achei válido compartilhá-lo com aqueles que tanto gostam de meus textos e blogs. A história da inspiração é interessante. Enquanto eu assistia um filme muito legal, do qual não lembro o nome, o casal protagonista do filme finalmente ficou junto, e daí percebi o quanto aquilo tudo me indagava, principalmente me amedrontava de ser apenas ficção. É isso. Beijos e boa leitura ;) 



Andei pensando ultimamente e conclui que eu poderia ver todos os filmes românticos que existem, existiram ou irão existir e sempre me questionarei se amores como esses são reais. Ou se algum dia encontrarei alguém como você para me apaixonar, assim de um jeito fictício. Será que poderia ouvir você falar de todos os meus sorrisos e olhares ? Você sabe quando eu me sinto mal?

Distinção

Vivemos o mesmo dilema, querendo ambos se entregar. Nada conspira a nosso favor,  nosso amor é um mito para o resto do mundo a nossa volta. Diferentes demais para harmonizar pureza e singelismo em um único corpo e alma. Mas ainda há esperança, pois as cores do cotidiano chochicharam à minha mente que o contrário existe para ser provado. Prostei meu coração então a sua inteira decisão: escolher em provar que há chance para nós ou aceitar que somos independentes dos nossos corações.
Se preferir, tentaremos. Se preferir mostraremos que  o mais válido no momento é o egoísmo de dividir com nosso próprio ser o sentimento de amar que habita em cada um e nada mais.

Apreciação

Ando fazendo de tudo para desviar o olhar. Buscando não deixar você notar, minha apreciação. Se eu fraquejar entrego os pontos e daí como negar ?  Como negar ? Que seu sorriso é tudo o que quero e sentir mais perto o doce sabor de 
te tocar é uma necessidade.  Você é minha presa, posso passar horas observando-a. Nada mais pode me impedir de dizer que antes de ser um cara mal, eu te amo.  Agora sem barreiras eu posso ver o quanto isso é bom. Nada mais pode me impedir de dizer, que antes de ser um cara mal,eu te amo.  Meu único hobby e minha melhor apreciação.



Uma Vez Mais

Ouça enquanto lê (;


Amor, eu não sei nem o que isso significa, mas gosto do que sinto. E esses sintomas causam turbulências no estômago.   Só acontece quando meus olhos encontram o brilho dos seus. Então me diga: Acontece com você? Ouvi dizer que pode ser uma boa coisa, mas talvez possa ferir muito. Se for amor o que nos mantém unidos, a certeza é plena de que não iremos nos ferir. Se for amor  uma hora alguém nos diz. Porém eu prefiro descobrí-lo com você. E acredito que você também, na verdade, mais de uma vez você provou que queria  acordar ao meu lado  todos os dias. Então sim, não há mais nada a nos surpreender.  Os índicios são reais. Olhe o céu, parece que não há nuvens de tempestade somente o sol a nos abraçar. Em seu rosto vejo a solução para encontrar toda nossa paz : Basta nos entregarmos as tais turbulências.  Assim como ontem e hoje, assim para sempre uma vez mais.

Fidelidade ao que somos.

Não mude jamais eu nunca te pedi isso.
Conheci-o assim e assim será. A menos que queira uma despedida, pesada, tranquila e memorável. Não serás feliz , um novo tempo sem emoções, tudo que os bons anos trouxeram ficarão longíquos para sempre. Por isso não mude jamais. Fale quando quiser falar, não precisa me pedir.  Mas vamos manter o comum:  Sem conversas intuitivas, que tal falar do momento? Eu sei que às vezes pareço distante, desculpe, mas é que me perco em seu olhar. Porém meu coração está tão próximo, tão próximo que já está em você.  E não há mais ar em meus pulmões, além da sua respiração. Sigamos o rumo da brisa de verão e façamos uma outra direção para nossa relação. Nada de conversas intuitivas, falaremos sobre o momento, o melhor. E até nos perigos gargalharemos, pois temos um ao outro sempre juntos, para enfrentar os piores medos.
Por Rayanne Nayara.
OBS.:
Há uma curiosidade que torna o texto especial, quando o escrevi, eu escutava a canção"Just the Way You Are"do cantorBilly J…

Alma.

No pulsar de buscar a felicidade e os próprios objetivos o ser humano esbarra em propósitos iguais os seus, em sonhos e histórias diferentes. Impressiona esse círculo da vida onde cada um é diferente e todos são iguais.  Conhece-se pessoas de outros lugares, com condições de vida diferentes, mas com a mesma procura de príncipios e metas. Todos querem brilhar, não só brilhar para o mundo, mas brilhar para dentro de si. 
São tantas informações e opções de personalidades a cada dia que se passa, que fica difícil escolher o que ser, quem ser e o mais assustador ainda, se descobrir.  Afinal toda e qualquer coisa é dividida em seus lados bons e ruins e aponte-me Senhor da Divindade, uma só pessoa que não queira ser quista como certa e boa, mesmo quando ela tem por escolha as atitudes transviadas na visão social.  As motivações são as mesmas meu Caro. 
E como não sentir-se frustrado quando alguém com situações de apoio, de dinheiro e de vitória maiores que as suas, conquista tudo o que você também…

Balanço do Amor

"  Quando eu procuro pelo sol, eu vejo você.  Estou certo de que você é meu amanhecer.
E se as flores estão abaladas,Eles querem dizer que têm inveja do nosso amor eterno. O vento bate nas copas das árvores. As folhas se remexem no balanço. As cores se contrastam em um brilho maior, é o  balanço do amor. Na chuva, se estou deitada na grama, sinto o cheiro da sua pele.
E a lama que me competir com você.
O céu noturno é tão azul, cinza e amarelo.
De manhã, o céu é tão cor de rosa.
E o orvalho chora de alegria, e balança. No balanço do amor. "






Cântico das Árvores

"Apesar de chorar muitas vezes, a natureza ainda
nos glorifica com sua beleza, com sua vida. E o que os homens fazem por ela? Recitam e entregam-lhe, seus melhores cânticos motosséricos.
E ainda, em meio a tanta cantoria, 
mandam ao vento confetes, raspas dos troncos, dos seres que  a eles muita sombra e brisa  fresca deram."